quarta-feira, 21 de novembro de 2018

A PERDA DA MEMORIA



Temos vivido dias difíceis pra não dizer anos, uma vez que a tragedia que se abate sobre nós vem de longa data. Muitos dizem que o Presidente eleito Jair Bolsonaro passou 27 anos no Congresso sem se quer apresentar um único projeto significativo que visse em favor do povo brasileiro. Devo considerar, portanto  que temos ai um problema de MEMÓRIA HISTÓRICA. Quando os militares deixaram o poder foram beneficiados pela Lei da Anistia a mesma que trouxe nossos companheiros de volta do exílio, esta era a condição para a Lei vigorar. Desta forma eles, os militares ficaram impunes.
Pois bem, Bolsonaro não veio para o Congresso para fazer projeto algum, ele juntamente com seus generais tinham um plano, este plano foi trabalhado durante todos esses anos. Arquitetaram tudo, crise econômica levando a Presidenta Dilma a ingovernabilidade culminando com o Golpe em 2016, sob a conivência do Supremo Tribunal Federal e grande parte do Congresso Nacional. Mas o que a MEMORIA tem a ver com isso. Tem muito, basta lembrar dos 400 anos de escravidão que a elite burguesa brasileira nunca aceitou e principalmente depois que um torneiro mecânico nordestino, pobre chegasse ao cargo mais alto do pais. Presidente da República! Vejam o ódio. Mutas pessoas perguntam mas de onde vem tanto ódio? Por que?? Outra vez se faz presente  a questão da MEMORIA, qual o governo que fez com que o pobre entrasse na Universidade?  Universidade e lugar para todos. Só vou falar isso. Mas para a elite perversa, insana ver a " Universidade como um lugar dos nobres". Nos tempos remotos os filhos da elite brasileira  iam para COIMBRA, estudar principalmente Direito! Por que? Direito? Ora, os senhores da terra, aqueles que na escravatura dominavam tudo precisavam te-la a qualquer custo pois terra sempre significou poder O Capitão do Mato que era da mesma classe dos escravos açoitavam os próprios de sua classe, temos ai portanto a necessidade dos filhos se formarem em Direito para defender eventualmente suas posses quando viesse a abolição por meio de rebeliões que nao podemos esquecer jamais!!!!!
Quando acontece a perda da MEMORIA DE UM POVO E SEU PASSADO É COMO A PERDA DA EXISTÊNCIA DE SI MESMO.

O ilustre mestre professor Doutor Boaventura de Sousa Santos nos fala sobre a MEMÓRIA como um principio que norteia nossa luta e nossa existência.
Meus pais e os vizinhos sempre reuniam a todos ao cair da noite para contar história dos nossos antepassados. A MEMÓRIA É COMO UMA LAMPADA ACESA QUE NOS FAZ ENXERGAR O QUE NÃO SE PODE VER A OLHO NU.

Nenhum comentário:

Centro Vivo da Memória Contemporânea-CVMC